A escritora Olga Tokarczuk
A escritora Olga Tokarczuk

ūüóěÔłŹ O Nobel para a escritora vegana Olga Tokarczuk


A polonesa Olga Tokarczuk ganhou o Pr√™mio Nobel de Literatura em 2018, mas s√≥ ficamos sabendo disso no an√ļncio de outubro deste ano, porque a academia sueca (respons√°vel pela premia√ß√£o) estava passando por um per√≠odo de, digamos, renova√ß√£o. Ap√≥s esc√Ęndalos sexuais que envolveram seus membros vieram √† p√ļblico, manchando a reputa√ß√£o da premia√ß√£o e fazendo com que ela simplesmente n√£o acontecesse como ocorre desde o in√≠cio do s√©culo XX, uma pausa se fez necess√°ria.

Mas ao mesmo tempo em que Tokarczuk era laureada, o austr√≠aco Peter Handke tamb√©m foi agraciado com o mais importante pr√™mio da literatura mundial. S√≥ que a premia√ß√£o dele ofuscou um tanto a dela. Handke era simp√°tico ao regime do execr√°vel  Slobodan MiloŇ°evińá. Morto em 2006, o presidente da S√©rvia que, entre outras coisas, foi acusado e julgado por crimes de guerra e contra a humanidade teve at√© o escritor discursando em seu funeral (e n√£o foi para dizer umas verdades)‚Ķ

Handke, portanto, n√£o nos parece ser l√° uma boa pessoa‚Ķ Agora, Tokarczuk, esta n√£o, ela √© feminista, vegana e ativista pela causa animal! ‚ÄúUma escritora magn√≠fica‚ÄĚ, na avalia√ß√£o da jornalista, escritora e tamb√©m ganhadora do Nobel de Literatura, a ucraniana Svetlana Aleksi√©vitch. Um de seus livros j√° chegou a ser publicado aqui no Brasil em 2014, “Os vagantes”, pela editora Tinta Negra, mas desapareceu e parece n√£o ter repercutido.

Mas antes de prosseguir, aqui cabe um par√™nteses: no Podcast Saber Animal #003, j√° falamos um pouco da obra e da preocupa√ß√£o com os animais de Aleksi√©vitch por conta da mini-s√©rie Chernobyl, do canal HBO, mas outro autor tamb√©m ganhador do Nobel tem preocupa√ß√Ķes com a forma como tratamos os animais, trata-se do J. M. Coetzee. Seu livro, A vida dos animais, atualmente esgotado, √© a manifesta√ß√£o do seu alter ego, a personagem Elizabeth Costello, uma “vegetariana radical”.

Bom, segundo uma vota√ß√£o no site da pr√≥pria academia, apenas 19% dos participantes leram algum livro de Tokarczuk e isto n√£o chega a ser ruim, pois eis uma nova autora para descobrirmos, apesar de tamb√©m revelar parte do percal√ßo que uma autora engajada enfrenta, especialmente em seu pa√≠s, como o √≥dio da extrema-direita por ela. Agora, ap√≥s a premia√ß√£o, uma outra editora brasileira est√° dedicada a traduzi-la e j√° come√ßou com um baita livro: Sobre os ossos dos mortos, com tradu√ß√£o direta do polon√™s por Olga BagiŇĄska-Shinzato. Como no Brasil de hoje vivemos uma violenta ascens√£o do obscurantismo, tamb√©m podemos encarar essa iniciativa como uma grande lufada de ar.

Sobre os ossos dos mortos, de Olga Tokarczuk, foi traduzido direto do polon√™s por Olga BagiŇĄska-Shinzato

Veja a sinopse:

“Em uma remota regi√£o da Pol√īnia, uma professora de ingl√™s aposentada costuma se dedicar ao estudo da astrologia, √† poesia de William Blake, √† manuten√ß√£o de casas para alugar e a sabotar armadilhas para impedir a ca√ßa de animais silvestres. Sua excentricidade √© amplificada por sua prefer√™ncia pela companhia dos animais aos humanos e pela cren√ßa na sabedoria advinda do estudo dos astros. Subversivo, macabro e discutindo temas como mundo natural e civiliza√ß√£o, este livro parte de uma hist√≥ria de crime e investiga√ß√£o convencional para se converter numa esp√©cie de suspense existencial. Olga Tokarczuk oferece um romance instigante sobre temas como loucura, injusti√ßa e direitos dos animais.” (Editora Todavia)

A escritora, ao que parece, conseguiu agitar o g√™nero da f√°bula com esse livro ao nos apresentar uma literatura bem diferente do que se poderia esperar de um g√™nero consagrado. Mais um motivo para l√™-la! Da nossa parte, estamos ansiosos por poder compartilhar nossas impress√Ķes sobre a obra muito em breve. Enquanto isso, aguardamos ansiosamente pelo discurso de Olga Tokarczuk, agora em dezembro, na premia√ß√£o oficial. Qui√ß√°, mais palavras de aux√≠lio a esta causa (a animal) t√£o complicada e ignorada pela humanidade. Quanto a Peter Handke, que tamb√©m discursar√°, e aos abusadores da academia (j√° afastados), como a personagem da hist√≥ria de Sobre os ossos dos mortos vamos preferir a companhia dos animais.

Atualização: Sobre os ossos dos mortos está na lista de melhores livros de 2019 no suplemento literário Pernambuco.